sábado, 15 de fevereiro de 2014

Sobre Ironias e Arrependimentos

Quanta ironia pode existir na vida?
E principalmente na morte?
Claro, pois uma esta na outra,
E ninguém nega a sua existência, apenas a mascara,
Evitam-se assuntos e escondem-se lembranças ligadas a ela.
Mas não há nada de errado,
 Apenas também não há nada certo,
E até isso é uma ironia.
E o grande ponto na sua reflexão,
É que eu sempre a evitei.
E mesmo nos momentos ruins,
Imaginei que eles ainda piorariam.
As aguas são turbulentas quando se está no meio da correnteza,
Mas  deixar ser carregado não é uma opção.
Sempre tentarão nadar na direção contraria,
E ninguém dirá que está errado,
Pois eles estarão sendo levados por ela
E quando finalmente chegarem ao fim,
No seu lugar de calmaria...
 ...ainda terão arrependimentos:
 - Talvez eu pudesse ter nadado um pouco mais.



Bruno P. Trajano

2 comentários:

  1. É isso aí, águas turbulentas, como esquecer.

    ResponderExcluir
  2. Se é, não tem como não pensar!
    Obg, pela visita tbm!

    ResponderExcluir

Seja critico, sem receio, exerça seu direito como leitor.
Dê sua contribuição, por favor!